slide 1

O que faz justiça aos oprimidos, o que dá pão aos famintos. O SENHOR solta os encarcerados. (Salmos 146:7)

slide 2

Orai sem cessar

slide 3

E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra. (Apocalipse 22:12)

Slide 4

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. (João 4:23)

slide 5

"JESUS TE AMA, VOCÊ É MUITO IMPORTANTE PARA DEUS"

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Islã planeja exterminar o cristianismo em todo o mundo


Sabemos que um homem surgirá para reger às nações do mundo. Ele fará aliança com muitos e subjugará outras. A Bíblia o denomina de: anticristo, homem vil, abominação desoladora, homem do pecado. Os muçulmanos pregam sobre o aparecimento do 12º Imã, o Imã Mahdi,que governará com mão de ferro, essa figura que eles esperam seria provavelmente a mesma que os baha'is pregam: Baha'u'llah o cristo cósmico, que em uma de suas profecias afirma que o governante mundial vem da Casa de Windsor, religião esta com origem na Pérsia, atual Irã, que tem sua sede hoje situada em Haifa, Israel, pois não são bem vindo mais em sua terra natal.  

Um grupo islâmico divulgou o seu plano para "apagar o cristianismo da face da terra", islamizar o Ocidente e estabelecer um sistema islâmico de governo mundial - colocando os que resistirem sob "um estado policial." 

O livreto de 23 páginas "A Civilização Islâmica Global: O Poder de uma Nação Revivificada," é produto da "United Muslim Nations International" (Nações Unidas Muçulmanas Internacionais), um grupo liderado pelo sheik Farook al-Mohammedi. O documento revela um plano para o domínio islâmico mundial e o restabelecimento de um califado.

Al-Mohammedi não deixa quaisquer dúvidas acerca da sua visão do cristianismo. 

O líder do grupo, o sheik Farook al-Mohammedi anunciou publicamente que "o revivificado califado global lançou os seus olhos ao Ocidente para de uma vez por todas libertar o mundo do cristianismo" e "islamizar" países como os Estados Unidos da América.

Ironicamente, os EUA, com um presidente declaradamente amigo do islão, continuam a deixar a população descansada... Num estudo subsiado pelo governo diz-se que os islamistas "não são nenhum inimigo ofensivo e agressivo procurando o domínio e a conquista dos infiéis, como normalmente se afirma.”. 

Apesar destas “palavras confortantes", a verdade é que a prática histórica do islã chama-se conquista, e, nesta presente revolução árabe por todo o Norte de África, os cristãos ali residentes estão cada vez mais forçados a renegar a sua fé, ser chicoteados ou mortos.

Para o líder muçulmano, "o cristianismo deve ser destruído e varrido da face da terra. É um sistema demoníaco e anticristão. Todos os cristãos estão em ignorância completa."

Segundo o endiabrado líder, "O poder islâmico regressou à face da terra... e nada se pode fazer contra.”...Os seus objetivos são claros.


"Jurei e fiz uma firme promessa ao califado da organização que farei o meu melhor para islamizar todo o Ocidente dentro de um curto período de tempo," - afirmou al-Mohammedi. 

Os pontos de vista do lunático muçulmano estão refletidas no seu livro, que apela a todos os muçulmanos para "escutarem atentamente (os ensinos do livro), para que assim possam sentir a espiritualidade de um reavivamento islâmico dentro deles e poderem assim atingir a tão necessária elevação e também uma forma de ganhar a proximidade de Alá Subahanhu wa-ta' ala."Nas palavras do texto: "O islã é a única verdadeira religião que goza sobre todo o mundo total submissão à vontade de Alá, o que significa que se tem de viver uma vida totalmente dedicada ao todo-poderoso Alá, ao servi-lo da maneira que ele nos prescreveu através do exemplo do santo profeta Maomé Sallallahu..."E Al-Mohammedi declara ainda que a resistência ocidental ao movimento islâmico mundial é fútil. 


"Hoje, enquanto respiro o ar do nosso recém fundado Estado Islâmico da América antes da minha viagem esta semana à Eurábia, deixo atrás de mim uma ideologia islâmica internacionalista que será o futuro da América e da Europa, inshallah (oxalá)," - anunciou o paranoico líder islâmico. 

A verdade é que esta filosofia de domínio mundial está em conformidade com o programa da "Irmandade Muçulmana", que ganhou as eleições no Egito. Ou seja: o paranóico não está sozinho, e pode ser o profeta de uma nova revolução que irá dar muitas dores de cabeça a um mundo ocidental completamente tolerante e subordinado à ditadura do petróleo e da força diabólica do islã...

Talvez seja esse o castigo que a Europa merece por ter voltado as costas a Deus...

0 comentários:

Postar um comentário